11 de mar de 2010

Ai, ai... Hoje vou começar assim.
Ontem foi meu aniversário e mais uma vez fiquei feliz em saber que tenho amigos e que além disso são pessoas super especiais em minha vida!!!! Como é bom se sentir querido, amado... Me senti assim!!
Mas a noite quando fui dormir, na calma e na paciência do meu travesseiro, tantas coisas me vieram a cabeça e lá veio a sessão nostalgia... Nossa, não consegui conter as lágrimas de saudade, de decepção, de felicidade, de medo... Tantos sentimentos misturados e uma confusão em meu coração. Como é possível se sentir assim? É muita coisa de uma vez só pra um coração...rsrrsrs
Fiquei me lembrando da infância, do meu pai que pra mim era mais que especial e que agora não está mais aqui... Da luta da minha mãe para que tivéssemos um futuro diferente do seu... Dos sonhos que tinha e que se tornaram tão diferentes do original...rsrsrrs E da minha nova condição e do novo presente que a vida me deu!!!!
Engraçado como consegui entender tantas coisas do meu passado, e isso sei que foi por causa da condição de ser mãe!!! Hoje entendo quando minha mãe dizia: " Quando você for mãe vai entender..." e realmente, ser mãe torna tudo diferente, e olha que ele ainda tá aqui guardadinho na minha barriga...
Mas enfim, pensar, pensar... Chorar, chorar...rsrsr
Mais outro dia amanhece e temos oportunidade de entender o milagre da vida!!!!!


Ana Carolina






2 de mar de 2010




















Engraçado como a vida nos leva cada vez mais por caminhos misteriosos... E o mais engraçado é que passei boa parte da vida planejando tudo que iria fazer e como seria minha vida... Que grande engano, a vida não permite certos planejamentos, "certas certezas" do futuro... Acho que o mágico mesmo é o inesperado!!!
Não posso dizer que agora sou infeliz pelas mudanças, mas acho que me agarrei tanto as minhas certezas que acabo as vezes me sentindo frustrada por tantas promessas feitas e não cumpridas, que talvez não tenha mais a chance de cumpri-las, no máximo recomeçar diferente...
Enxergar a vida diferente não é o bastante, é preciso viver diferente também.

Ana Carolina