11 de nov de 2009


Me chame do que quiser

Se parece ingênuo que eu acredite nas pessoas, que me chamem de tola.
Se parece impossível que eu queira ir onde ninguém conseguiu chegar, que me chamem de pretensiosa.
Se parece precipitado que eu me apaixone no primeiro momento, que me chamem de inconsequente.

Se parece imprudente que eu me arrisque num desafio, que me chamem de imatura.
Se parece inaceitável que eu mude de opinião, que me chamem de incoerente.
Se parece ousado que eu queira o prazer todos os dias, que me chamem de abusada.

Se parece insano que eu continue sonhando, que me chamem de louca.
Só não me chamem de medrosa ou de injusta. porque eu vou à luta com muita garra e muita vontade de acertar.
E foi lutando que eu perdi o medo de ser ridícula. de ser enganada. de ser mal entendida.
Perdi, na verdade, o medo de ser feliz.

Não me incomoda se as pessoas me veem de forma equivocada.
O importante mesmo é como eu me vejo...
Sem cobrança. sem culpa. sem arrependimento.
A gente perde muito tempo tentando agradar aos outros. tentando ser o que esperam de nós.
Eu sou o que sou e não peço desculpas por isso.

No meu caminho até aqui, posso não ter agradado a todo mundo, mas tomei muito cuidado para não pisar em ninguém.
Sendo assim, me chame do que quiser, eu não ligo...
Porque eu só atendo mesmo quando chamam pelo meu nome, que eu tenho o maior orgulho de carregar.

Texto: Lena Gino

5 de nov de 2009

Hoje preciso escrever por me sentir triste... Sinto um vazio que não sei explicar, fico horas a fio tentando encotrar o que me falta, o que me angustia... Sinto uma melancolia sem explicação, uma sensação de perda...
Não gosto quando meu espirito anda inquieto, sempre vem algo ruim pela frente... E o pior de tudo é não identificar o que estar por vir...
Engraçado, nesse momento me sinto extremamente só, um gosto de solidão apesar de todos estarem por perto... Sinto vontade de fazer tudo, agarrar o mundo com minhas mãos e ao mesmo tempo me esconder de tudo, de todos... Dificil explicar...rsrsrs Bem contraditorio.
Sinto como se estivesse parada no tempo a espera do "acontecimento", tentando descobrir qual a missão a cumprir e acabo escutando só o silencio em resposta a tantas perguntas que me afligem...
Queria conseguir colocar em palavras tudo que sinto nesse exato momento, mas as palavras não se juntam para formarem as frases...

Ana Carolina

Migalhas

SIMONE
Composição: Erasmo Carlos

Sinto muito mas não vou medir palavras
Não se assuste com as verdades que eu disser
Quem não percebeu a dor do meu silêncio
Não conhece o coração de uma mulher
Eu não quero mais ser da sua vida
Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor
Quero ser feliz
Não quero migalhas do seu amor
Do seu amor


Quem começa um caminho pelo fim
Perde a glória do aplauso na chegada
Como pode alguém querer cuidar de mim
Se de afeto esse alguém não entende nada
Eu não quero mais ser da sua vida
Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor
Quero ser feliz
Não quero migalhas do seu amor
Do seu amor

Não foi esse o mundo que você me prometeu
Que mundo tão sem graça
Mais confuso do que o meu
Não adianta nem tentar
Maquiar antigas falhas
Se todo o amor que você tem pra me oferecer são migalhas
Migalhas

Eu não quero mais ser da sua vida
Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor
Quero ser feliz
Não quero migalhas do seu amor
Do seu amor
Sinto muito mas não vou medir palavras
Sinto muito

2 de nov de 2009

Quero dar adeus a tudo que passou... Quero realmente começar de novo, fazer diferente!!!
Quero extrair da vida e de mim mesmo tudo de melhor, olhando pra frente sem arrependimentos, com o coração tranquilo. Enterrar de uma vez todo sofrimento e dor...
Hoje estou de luto!!! Mas é o luto mais doce de minha vida, pois agora estou morrendo e renascendo novamente ... Estou tendo a chance de recomeçar uma nova vida em uma mesma vida...rsrsrsr E olha que nem todo mundo tem essa chance, então não posso desperdiçar...
Quero poder acordar todos os dias e saber que posso mais, que tenho muito mais a fazer... Quero a doçura de tudo, saborear as delicias da vida com tranquilidade, olhar pra frente sem ter medo nem amarras.
Um dia fui frágil, pequena, medrosa... Hoje sou forte, sei que sou capaz de tudo, posso sobreviver a mim mesmo... Eu consegui me superar... Superei a dor física, superei minha fraqueza, meu medo, minha solidão... Encontrei uma força no fundo de minha alma, onde nem mesmo eu sabia que existia. Conheci todos os meu limites e fui capaz de ultrapassa-los.
Agora, um ano se passou... Nossa, como o tempo passa rápido olhando agora... Como amadureci!!
É ate engraçado olhar pra traz, por que nunca imaginamos que coisas ruins possam nos acontecer, e realmente a vida me pegou de surpresa...
Sabe, ainda me lembro agora a sensação de quando acordei e não senti minhas pernas... Nossa, achei que ainda dormia... Só podia ser sonho, alias, pesadelo... Pois em um instante caminhei até minha cama e quando acordei não conseguia levantar dela, parecia que haviam me cortado ao meio, uma parte de mim parecia morta... Ai vem a sensação de desespero, uma avalanche de emoções juntas, a principal: O MEDO.
Naquele momento era como se assistisse o filme da minha vida... E só pensava: esta tudo acabado, sonhos destruídos... Eu queria sair de mim, não acreditava que tudo aquilo estava acontecendo comigo... Só pensava que nunca havia feito mal a ninguém pra merecer algo assim... E assim começou um ano de luta... Passei por varias fases... Cama, cadeira de rodas e hoje muletas. Ouvi de tudo, cada diagnóstico mais terrível que o outro. Mas o pior foi ouvir que nunca mais voltaria a andar... Naquele momento algo se partiu dentro de mim... fiquei imaginando como iria lidar com aquilo, como arrumaria as palavras que ouvi em minha cabeça.
Optei então por deixar as coisas acontecerem... Preferi mastiga-las devagar... E assim fiz, deixei as coisas acontecerem e aliei-me ao tempo, algo dentro de mim me dizia que ele seria meu melhor mestre... Então decidi viver um dia de cada vez, sem jamais perder a fé... E muita gente não entendia, imaginava que eu estava me entregando, desistindo... Não estava, apenas fazia uma coisa de cada vez... Entendi que precisava aprender algo, que nada do que havia acontecido podia ser por acaso, e aprendi... Cada lugar que passei, cada hospital que fui, ali tirei lições que jamais vou esquecer.
Descobrir que existem dores físicas maiores, sofrimentos incomparaveis... E passei a enchegar não as coisas ruins que me aconteciam, e sim as coisas boas que estavam ao meu lado e talvez nunca tivesse dado o real valor... Eu tinha amigos, uma família presente e um amor, e muitos ali sofriam sozinhos, tinham que travar suas batalhas solitários, e eu tinha um exercito pra lutar comigo... Acho que por isso não desistir, absorvi a força dos que estavam ali e lutei com todas as forças disponíveis.
Sabe, sei que a batalha ainda não terminou, mas ela me trouxe grande vitorias... A principal delas foi superar a mim mesmo... E vou viver tentando fazer isso todos os dias - Me superar. Esse é o funeral que celebra o meu renascimento!!!!!!

Ana Carolina

1 de nov de 2009

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo...
Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que
a gente se impõe, às vezes,
para realinhar os pensamentos...
isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida...
Isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado..... Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...

É... mas tenho ainda muita coisa pra arrumar
Promessas que me fiz e que ainda não cumpri
Palavras me aguardam o tempo exato pra falar
Coisas minhas, talvez você nem queira ouvir

Já sei olhar o rio por onde a vida passa
Sem me precipitar e nem perder a hora
Escuto no silêncio que há em mim e basta
Outro tempo começou pra mim agora.

Esse é o trecho da musica da minha xará que diz muito desse momento que vivo agora...

Ana Carolina








Só sou um palhaço no palco da vida...


Ana Carolina Sousa